Definição do navegador da Web

25 de março de 2024

Um navegador da web é um aplicativo de software projetado para acessar, recuperar e exibir conteúdo no World Wide Web, incluindo páginas da web, imagens, vídeos e outros tipos de dados. Os navegadores da Web funcionam enviando solicitações para a Web serverestá usando o Protocolo de transferência de hipertexto (HTTP) ou sua versão segura (HTTPS), que então responde entregando o conteúdo solicitado, muitas vezes na forma de HTML documentos. O navegador da web então renderiza esses documentos, exibindo a página da web conforme pretendido pelos criadores do conteúdo.

Os navegadores da Web também oferecem uma variedade de funcionalidades além da simples exibição de páginas da Web, como marcar sites favoritos, gerenciar usuários senhase oferecendo extensões ou plug-ins para aprimorar os recursos do navegador e melhorar a experiência do usuário.

Os navegadores populares incluem Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari da Apple, Microsoft Edge e Opera. Cada navegador possui recursos e otimizações exclusivos, mas todos atendem ao propósito principal de permitir que os usuários interajam com os vastos recursos disponíveis na Internet.

História dos navegadores da web

A história dos navegadores da web remonta ao início da década de 1990, quando a World Wide Web estava surgindo. O primeiro navegador da web, WorldWideWeb (mais tarde renomeado como Nexus), foi criado por Tim Berners-Lee em 1990 no CERN. Este navegador, que também funcionava como editor, lançou as bases para futuros desenvolvimentos na tecnologia de navegação na web.

O lançamento do Mosaic em 1993, desenvolvido por uma equipe liderada por Marc Andreessen no Centro Nacional de Aplicações de Supercomputação (NCSA), revolucionou a Internet. A interface gráfica do Mosaic tornou a World Wide Web acessível ao público pela primeira vez, preparando o cenário para o boom da Internet em meados da década de 1990. Sua abordagem amigável e capacidade de exibir imagens alinhadas ao texto marcaram uma evolução significativa na navegação na web.

O sucesso do Mosaic levou Marc Andreessen a cofundar a Netscape Communications, que lançou o Netscape Navigator em 1994. O Netscape rapidamente se tornou o navegador dominante e desencadeou a primeira guerra de navegadores com a Microsoft, que entrou no mercado com o Internet Explorer (IE) em 1995. A intensa competição levou a rápidas inovações em tecnologias web. No entanto, no início dos anos 2000, o IE conquistou a maior parte da quota de mercado, em parte devido à sua integração com o sistema operativo Windows.

O cenário dos navegadores começou a mudar novamente com o lançamento do Firefox em 2004 e do Google Chrome em 2008, que enfatizavam velocidade, segurança e suporte para novos padrões da web. Uma nova era de competição e inovação começou, levando ao ecossistema diversificado e dinâmico de navegadores da Web que vemos hoje, com vários navegadores em constante evolução para dar suporte às necessidades cada vez mais sofisticadas dos usuários da Web e dos desenvolvedores.

Como funciona um navegador da Web?

Aqui está uma visão geral de como os navegadores da web funcionam:

  1. Processamento de URL. Quando você entra em um URL (Localizador Uniforme de Recursos) na barra de endereço do navegador, o navegador primeiro analisa o URL para identificar o protocolo (http, https), o serverendereço e o caminho específico para o recurso no server. Se o URL não incluir um recurso específico, o navegador normalmente solicita o documento padrão, geralmente um arquivo HTML.
  2. Pesquisa de DNS. O navegador traduz o nome de domínio legível por humanos (por exemplo, www.example.com) em um Endereço IP que os computadores usam para se identificarem na Internet. Para realizar esta etapa, o navegador passa por um processo denominado Sistema de nomes de domínio (DNS) olho para cima. Se o navegador tiver o endereço IP armazenado em cache de solicitações anteriores, ele pulará esta etapa.
  3. Solicitação HTTP. Assim que o navegador tiver o endereço IP, ele envia um HTTP pedido para o server. Esta solicitação inclui o método (GET, POST, etc.), o recurso solicitado e cabeçalhos adicionais com informações como tipo de navegador (agente de usuário) e idiomas aceitos.
  4. Server resposta. O server recebe a solicitação e a processa. Se o recurso estiver disponível e a solicitação for válida, o server envia de volta uma resposta HTTP. Esta resposta inclui um código de status (por exemplo, 200 para uma solicitação bem-sucedida), cabeçalhos com metainformações sobre a resposta e o corpo da resposta, que geralmente contém o conteúdo solicitado, como um documento HTML.
  5. Renderização de conteúdo. O navegador recebe o serverresposta e começa a renderizar o conteúdo. O conteúdo HTML é analisado e exibido primeiro, criando a estrutura da página. À medida que o navegador analisa o HTML, ele encontra tags que fazem referência a recursos adicionais (APF para folhas de estilo, JavaScript arquivos para funcionalidade e imagens). O navegador faz solicitações HTTP adicionais para esses recursos, que são integrados à página.
  6. Layout e pintura. Após processar o HTML, CSS e JavaScript, o navegador constrói a árvore DOM (Document Object Model) e a árvore CSSOM (CSS Object Model). Em seguida, ele os combina para formar a árvore de renderização, que contém todo o conteúdo visível e informações de estilo da página. O navegador então calcula o layout, determina o tamanho e a posição de cada elemento e pinta o conteúdo da tela.

Recursos do Navegador da Web

Os navegadores da Web vêm com uma variedade de recursos projetados para aprimorar a experiência, a segurança e a funcionalidade do usuário. Aqui está uma lista de recursos comuns do navegador da web:

  • Navegação com guias. Esta funcionalidade permite aos usuários abrir várias páginas da web em uma única janela do navegador, cada uma em sua própria guia. O uso de guias ajuda a organizar as sessões de navegação e alternar facilmente entre diferentes sites sem abrir várias janelas do navegador.
  • Marcadores/favoritos. Os marcadores permitem que os usuários salvem páginas da web para acesso rápido no futuro. As páginas marcadas podem ser organizadas em pastas, e os navegadores geralmente oferecem a capacidade de sincronizar marcadores entre dispositivos.
  • Modo privado ou anônimo. Este é um modo de navegação que evita que o navegador armazene informações sobre a sessão de navegação do usuário, incluindo histórico, cookies e arquivos temporários. Este modo é útil para navegar sem deixar rastros no dispositivo ou para fazer login em várias contas simultâneas.
  • Extensões/complementos. Esses são pequenos programas de software que ampliam os recursos de um navegador da web. Extensões pode fornecer uma ampla gama de funcionalidades, desde o bloqueio de anúncios e gerenciamento de senhas até a personalização da aparência do navegador e a adição de recursos como ferramentas de anotações ou captura de tela.
  • Bloqueadores de pop-up. Esses programas impedem automaticamente a abertura de janelas pop-up, que são usadas para anúncios ou conteúdo indesejado. A maioria dos navegadores permite que os usuários coloquem sites na lista de permissões onde os pop-ups são necessários para a funcionalidade.
  • Barra de pesquisa/preenchimento automático. Os navegadores geralmente incluem uma barra de pesquisa integrada a um mecanismo de pesquisa, oferecendo sugestões e recursos de preenchimento automático com base na digitação e no histórico de navegação do usuário. Essa funcionalidade facilita a localização de informações sem digitar consultas inteiras.
  • História. Este recurso mantém um registro de todas as páginas da web que o usuário visitou durante um determinado período, permitindo que os usuários revisitem facilmente as páginas visualizadas anteriormente. O histórico do navegador pode ser pesquisado e os usuários podem excluí-lo por motivos de privacidade.
  • Gerenciador de download. Este programa gerencia os arquivos baixados da internet. Ele fornece aos usuários informações sobre o andamento do download, a capacidade de pausar e retomar downloads e acessar uma lista de arquivos baixados.
  • Recursos de segurança. Os navegadores incorporam vários recursos de segurança, como Phishing e malwares proteção, alertando os usuários sobre sites ou downloads potencialmente perigosos. Eles também oferecem vários graus de criptografia (como HTTPS) para proteger os dados transmitidos entre o navegador e a web servers.
  • Personalização e configurações. Os usuários podem personalizar sua experiência de navegação, incluindo a página inicial, mecanismo de pesquisa padrão, configurações de privacidade e muito mais. Os navegadores também oferecem suporte a temas e skins que alteram sua aparência.
  • Visualizador de design responsivo. Esta é uma ferramenta para desenvolvedores que permite a simulação de como as páginas da web ficarão em vários dispositivos e tamanhos de tela diretamente no navegador.
  • Ferramentas integradas para desenvolvedores. Um conjunto de ferramentas para desenvolvedores web, incluindo um console para JavaScript, um inspetor DOM, um visualizador de atividades de rede e ferramentas de análise de desempenho. Eles são essenciais para depurar e otimizar sites.

Exemplos de navegadores da Web

Aqui estão os navegadores da web mais populares em todo o mundo.

Google Chrome

O Google Chrome, desenvolvido pelo Google, é atualmente o navegador mais utilizado. Lançado em 2008, rapidamente ganhou popularidade por sua velocidade, simplicidade e eficiência. O Chrome é conhecido por seu design minimalista e desempenho eficaz, especialmente no manuseio de JavaScript. Ele suporta uma ampla gama de extensões que aprimoram sua funcionalidade, tornando-o uma escolha versátil tanto para usuários em geral quanto para desenvolvedores. Graças aos seus recursos de sincronização, a integração do Chrome com os serviços do Google, como Gmail e Google Docs, proporciona uma experiência de navegação perfeita em todos os dispositivos. No entanto, tem sido criticado pelo alto uso de memória e pelas preocupações com a privacidade do usuário.

Mozilla Firefox

Mozilla Firefox é um de código aberto navegador desenvolvido pela Mozilla Foundation. Ele surgiu como uma escolha popular no início dos anos 2000 devido ao seu foco na privacidade do usuário, opções de personalização e desempenho robusto. O Firefox oferece amplo suporte para padrões web, tornando-o um favorito entre os desenvolvedores web. É conhecido pelos seus fortes recursos de segurança, incluindo proteção de rastreamento e atualizações regulares que protegem contra as ameaças mais recentes. O Firefox também oferece suporte a muitas extensões, permitindo aos usuários personalizar sua experiência de navegação. O navegador enfatiza fortemente a privacidade do usuário, oferecendo recursos como proteção aprimorada contra rastreamento por padrão.

apple Safari

Apple Safari é o navegador padrão para dispositivos macOS e iOS. É conhecido por sua interface limpa e eficiência energética, principalmente em dispositivos Apple. O Safari é otimizado para o ecossistema Apple, oferecendo integração perfeita com outros serviços e dispositivos Apple. Inclui recursos como euCloud Chaveiro para gerenciamento de senhas e Handoff, que permite aos usuários continuar navegando nas sessões em dispositivos Apple. O Safari coloca uma ênfase significativa na privacidade e segurança, com prevenção de rastreamento inteligente que limita o rastreamento entre sites e sandboxing de sites que protege contra códigos maliciosos. Seu desempenho é altamente otimizado para hardware Apple, tornando-o uma escolha rápida e eficiente para usuários de Mac e iPhone.

Microsoft Edge

Microsoft Edge é um navegador desenvolvido pela Microsoft, introduzido como um substituto do Internet Explorer no Windows 10. Desenvolvido no projeto de código aberto Chromium, o Edge oferece compatibilidade com uma ampla gama de padrões e extensões da Web disponíveis na Chrome Web Store. Ele foi projetado para ser rápido, seguro e fácil de usar, com recursos como Coleções para organizar pesquisas na web e um Leitor Imersivo para uma experiência de leitura descomplicada. O Edge também foca na privacidade e segurança, com três níveis de prevenção de rastreamento. Sua integração com serviços Microsoft, como Office e Outlook, visa aumentar a produtividade dos usuários do ecossistema Microsoft.

Navegadores da Web e Cookies

Os navegadores da Web e os cookies interagem estreitamente, desempenhando papéis complementares na experiência online do usuário.

Cookies são pequenos pedaços de dados enviados de um site e armazenados no navegador do usuário enquanto ele navega nesse site. Essa tecnologia permite que os sites lembrem informações sobre a sessão de um visitante, que podem incluir informações de login, preferências e outras funções de personalização. Por exemplo, quando você faz login em um site de mídia social e retorna mais tarde sem fazer login novamente, é porque os cookies estão funcionando. Eles ajudam a tornar a experiência de navegação mais conveniente, lembrando as configurações do usuário, personalizando assim a experiência do usuário.

No entanto, esta relação também levanta questões de privacidade e segurança. Os cookies podem ser usados ​​para rastrear o histórico de navegação de um usuário em vários sites, levando à publicidade direcionada e à coleta de informações pessoais sem consentimento explícito. Para resolver essas preocupações, os navegadores modernos implementaram recursos que permitem aos usuários gerenciar suas configurações de cookies, incluindo bloquear ou excluir cookies. Além disso, regulamentos como o General Regulamento de Proteção de Dados (GDPR) na União Europeia exigiram que os sites obtenham o consentimento do usuário antes de colocar cookies em seus navegadores.

Como escolher um navegador da web?

A escolha do melhor navegador depende de suas prioridades, como velocidade, privacidade, personalização e integração do ecossistema. Aqui estão algumas dicas para selecionar um navegador da web que melhor atenda às suas necessidades:

  • Considere seu dispositivo e sistema operacional. Alguns navegadores são otimizados para sistemas operacionais específicos. Por exemplo, o Safari foi projetado para macOS e iOS, oferecendo integração profunda e eficiência energética em dispositivos Apple. Escolha um navegador que tenha um bom desempenho em seu sistema operacional.
  • Avalie desempenho e velocidade. Se você valoriza o carregamento rápido da página e o desempenho suave, procure navegadores que sejam conhecidos por sua velocidade. O Google Chrome e o Mozilla Firefox, por exemplo, são conhecidos por lidarem eficientemente com sites e aplicativos complexos.
  • Avalie os recursos de privacidade e segurança. Se a privacidade for uma grande preocupação, priorize navegadores que ofereçam fortes proteções de privacidade, como prevenção de rastreamento integrada, bloqueadores de anúncios e a opção de usar o modo de navegação anônima. Firefox e Safari estão particularmente focados em melhorar a privacidade do usuário.
  • Procure personalização e extensões. Se você gosta de personalizar sua experiência de navegação com ferramentas e temas, considere navegadores que suportam uma ampla variedade de extensões e opções de personalização. O Chrome e o Firefox possuem extensas bibliotecas de extensões, permitindo adicionar recursos que vão desde bloqueadores de anúncios até ferramentas de produtividade.
  • Verifique a sincronização entre dispositivos. Para usuários que navegam em vários dispositivos, é conveniente ter seus dados sincronizados. Navegadores como Chrome, Firefox e Edge oferecem recursos de sincronização de favoritos, senhas, histórico e guias abertas em dispositivos quando você faz login com sua conta.
  • Revise a interface do usuário e a facilidade de uso. A usabilidade da interface de um navegador pode afetar significativamente a sua experiência de navegação. Alguns usuários preferem um design minimalista com foco no conteúdo, enquanto outros podem apreciar o acesso rápido às configurações e recursos. Passe algum tempo explorando a interface para ver se ela atende às suas preferências.
  • Considere a integração do ecossistema. Escolher um navegador que se integre perfeitamente a esses serviços pode aumentar sua produtividade se você investir pesadamente em um ecossistema específico, como os serviços do Google ou o Microsoft Office. Por exemplo, o Chrome funciona bem com o Google Apps e o Edge está integrado aos serviços da Microsoft.
  • Mantenha-se informado sobre atualizações e suporte. Os navegadores atualizados regularmente têm maior probabilidade de oferecer melhor segurança, novos recursos e melhor desempenho. Certifique-se de que o navegador escolhido seja bem suportado e receba atualizações frequentes.

Anastasia
Spasojevic
Anastazija é uma redatora de conteúdo experiente, com conhecimento e paixão por cloud computação, tecnologia da informação e segurança online. No phoenixNAP, ela se concentra em responder a questões candentes sobre como garantir a robustez e a segurança dos dados para todos os participantes do cenário digital.